domingo, maio 20, 2007

Sentir

O que é afinal sentir? Uma cambada de psicólogos e sociológos avançariam de imediato com uma serie de definições patéticas e absuradas sobre o Id, o insconsciente, o consciente, a realidade social....balelas! Como podem eles dizer o que é sentir se muitos deles nunca sentiram?
Sentir pode ser um conceito indeterminado e, como jurista, preencho os conceitos indeterminados pela aplicação casuística do preceito.
Sentir, estar, tocar, adorar, ver....tudo conceitos indeterminados que sabem tão bem quando aplicados no caso concreto, quando experimentados, quando preenchidas as previsões normativas que levam à aplicação integral do preceito em causa.
E depois vem a felicidade, o maior dos conceitos indeterminados...como se vê, como se preenche? Como se retira de um sorriso aberto, de um olhar cumplice, de um acto de loucura instantâneo e momentâneo mas que se quer prolongado?
Incoerente? Esquisito? Não perceberam nada? SPEECHLESS!!!!!
(já que continuo numa de estar a ser bloqueado pelo YOUTUBE e os videos apenas aparecerem lá para a próxima semana)

1 Comentários:

Blogger esparguete_juridico disse...

Há conceitos cuja indeterminação lhe conferem muito mais beleza do que incerteza. Pouco importa o preenchimento maior ou menor do conceito senão a posição na situação jurídica do real declaratário.
Sentir, essa dor de tanto viver, mas que nunca se quer perder para que possamos dizer que VIVEMOS.

12:06  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial