segunda-feira, maio 28, 2007

Ir e voltar

Estar longe, abstraído de qualquer informação, televisão, jornal, rádio. não querer saber da actualidade política ou social. Não querer saber das intrigas do Regime! Estar simplesmente longe, com a cabeça nas nuvens, a pensar na minha LUZ! A aproveitar cada segundo que parece quase não terminar, prolongando-se eternamente no tempo.
Mas ao mesmo tempo várias sensações nos invadem quando olhamos em redor. A felicidade, o brilho nos olhos de alguns contrastam com a tristeza de outros. A angústia de querer ajudar e não poder. De querer sentir com eles, de os compreender melhor.
Querer estar sempre presente. Ajudar. Acalmar. Simplesmente estar!
Mas não poder fazer nada disto leva um pouco de nós. Começa apenas numa lágrima, mas vai até lá ao fundo buscando um pouco de nós.
Mas saber que que temos uma luz à nossa espera, um ombro onde nos apoiar, um vício que nos preenche, alguém que nos enche o coração, preenche-nos. Será que eles têm? Será que sou EU?
Escrito de uma penada, algures entre Lamego e Viseu