quarta-feira, abril 25, 2007

Mas o que é que se passa com esta gente?

É feriado, é dia da liberdade, dia da democracia. É certo! Mas nem para todos.
Uma pessoa corre a blogosfera que tem na barra dos preferidos do IE e depara-se com um sentimento adverso ao próprio sentido de blogosfera. Salvo algumas excepções, há um sentimento e uma opinião demonstrada que leva-me a ficar com a ideia que o 25 de Abril foi um crime, que os capitães de Abril foram um criminosos e que mais valiam estar quietos e que todos aqueles que durante o Regime lutaram contra eles são uma cambada de fascistas e que são ainda piores que Salazar e os seus pidezinhos. Goza-se, critica-se, fala-se bem do antigo regime, mal do novo, mas sobretudo critica-se a acção do Dia e o que a ela se seguiu.
Fala-se do PREC, da Reforma Agrária, dos retornados, das nacionalizações. Mas não é normal numa revolução haver grandes mudanças? Não é normal a libertação e as acções que a ela se seguem depois de tantos anos de opressão. Dirão eles que não é.
Mas depois vêm criticar Abril pelo que somos hoje, uma democracia ocidental, membro de pleno direito da União Europeia, ONU e NATO, um país com liberdade de imprensa, onde já não há fome, onde se estuda, onde não se tem que abandonar a escola aos 10 anos para ir trabalhar, onde já não há guerra, onde todos têm água potável e electricidade, onde há mais televisões e telemóveis do que habitantes, onde 400.ooo pessoas frequentam o ensino superior.
Eles falam mal do 25 de Abril, mas foi o 25 de Abril que lhes deu a liberdade de escreverem o que escrevem hoje. Dirão eles: "não foi o 25 de Novembro." Mas haveria 25 de Novembro sem 25 de Abril? Pensem lá outra vez.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial