terça-feira, março 13, 2007

Uau!

De certo que o caro leitor tem a companhado com todo o interesse o caso da bebé que foi raptada há 13 meses no Hospital de Penafiel. Agora o que eu ja me começo a passar um bocadinho é com o tratamento que os media têm dedicado ao caso. Não sei, se calhar sou que que sou muito exigente, mas é preciso tanta coisa? Tanto directo, tanta análise, tanta perseguição, tanta investigação? Não chegava dar a noticia, relatar a felicidade dos pais e ficarem por aí? Não, sei, digo eu.
Mas vão ainda mais longe, comparam casos. Ora esse extraordinário exercício de comparar o que não é comparável é que leva a certas afirmações e certamente descridibiliza, ou devia descridibilizar, quem as faz. Falo da fantástica comparação feita em reportagem pela SIC, que compara este rapto e as suas circunstâncias com um rapto nos EUA e no qual a criança demora apenas 3 dias a ser recuperada. "-Uau!" dirá o leitor, pois, uau. "Uau!" se a norte-americana raptora não tivesse passado de frente em todas as câmaras de segurança e não facilita-se a sua identificação. "Uau!" se a norte-americana não tivesse estacionado a carrinha à frente de uma câmara de segurança com a matrícula de fácil leitura.
Uau! não é, a eficácia dos jornalistas a comparar o incomparável. Se ao menos fossem tão eficazes a assumir os erros que fazem!

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial