sábado, março 31, 2007

A afundar



Não podia concordar mais com José Miguel Júdice quando dizia , no Público de ontem, que a questão da Ota pode decidir as próximas legislativas. Não só por causa do bruaá que o PSD anda fazer em volta do assunto, mas porque se está, finalmente, a criar uma consciência na opinião pública que a Ota não é melhor solução que o Poceirão, nem mesmo que Rio Frio que as questões que fizeram os Governos (PS ePSD) afastar estes últimos, os motivos ambientais, podem ser também aplicados à Ota, além de que o estudo de impacto ambiantal da Ota não estaja concluído e que está a levantar grandes dificuldades, o que levará a que o projecto possa ficar ainda mais caro. E a opinião pública começa a consciencializar-se que pode haver uma alternativa mais barata, mais rápida, com melhores acessibilidades, com mais impacto a nível da qualidade de vida e com o mesmo, senão menor, impacto ambiental.
O pior para o governo é que a este sentimento se aliam centenas de especialistas, vozes dentro do PSD, os comentadores, e pior, para eles, o PR. a decisão do Governo tem que ser rápida, e pode ser decisiva para o seu futuro. E mais, é decisiva para o país e é bom que não se esqueçam disso!

A descida


Aquando da mudança editorial do DN tive a oportunidade de manifestar os meus receios. Começam, infelizmente, a confirmar-se. Não é que o jornalismo tenha vindo a descer de nível, a linha editorial é que tem. O caderno de Economia foi a primeira vítima, dizem-me agora que á sexta-feira vai nascer um suplemento desportivo. Depois seguiram-se uma data de manchetes de má memória, ao estilo da de hoje, ao estilo "Correio da Manhã", em que o objectivo primordial, o de transmitir o que realmente importa na notícia, é deixado de lado pela manchete espectáculo. não foi a primeira, não vai ser a última. Não sei como estão as vendas do DN, mas dúvido que tenham aumentado, porque para sencionalismos já temos o "Correio da Manhã" o o "24 Horas", não precisamos de mais um.

Talvez ao leitor isto não interesse, mas a mim, habitual consumidor de jornais, preocupa. A importância da vendas começa, rapidamente a sobrepôr-se ao critério da qualidade, e não falo só do DN, porque o Público vai pelo mesmo caminho. Como dizia no outro dia o Prof. Amaral Dias: "a imprensa de referência está ligada à máquina, porque perdeu a sua identidade". Porquê? Simples Começa a desagradar ao seu público habitual e aos outros a que quer chegar com esta nova estratégia não impressiona, já têm o seu espaço de leitura preeenchido.

*

Um última chamada de atenção para o Expresso de hoje. Não para a manchete, que tem sido mal interpretada pelos media durante a manhã, mas para a reportagem das 2 primeiras páginas em que descrevem a "máquina de propaganda" deste Governo, a forma como tentam influenciar os critérios editoriais no que toca a noticias sobre o Governo e sobre membros do executivo. Não é pura ficção, e os relatos de editores, chefes de informação e jornalistas estão lá para o confirmar.

sexta-feira, março 30, 2007

Parece que ainda não é desta que a normalidade volta

A minha vergonha

Imagine o caro leitor que se defronta com uma pessoa muito influente neste país, uma pessoa, vá lá, que é muito conhecida, que é um político influente, que é um grande jurista, que é uma das nossas grandes mentes, se bem que depende da perspectiva.
Agora imagine que se cruza com essa pessoa, um dia, e que essa pessoa o fixa com os 2 olhinhos que a terra lhe há-de comer e tudo o que você consegue fazer é lembrar-se de algo que leu dele num suplemento satírico da manhã e desata a rir que nem um maluco na cara dessa pessoa. Ora ela (a pessoa) dá conta e o olhar fixa-o de forma estranha e no sentido: " tás-te a rir de quê ó palhaço?"
Agora diz o caroo leitor: "o que é que eu tenho a ver com isso?" Pois, nada!
Este blogue regressa à normalidade dentro de momentos.

quinta-feira, março 29, 2007

Então e se os expulsassemos a eles?

quarta-feira, março 28, 2007

Serviço Público

Estreou ontem na RTP o programa do Prof António Barreto, Portugal- Um retrato social. Pareceu-me um excelente programa, que retrata a evolução de Portugal durante o século XX. Parece-me especialmente recomdável para a queles que dizem que em Portugal nada evolui, que está tudo sempre na mesma. As imagens são impressionantes, porque chegam a demonstrar a miséria em que ainda se vivia na década de 80!
"Rigorosamente a não perder!"

terça-feira, março 27, 2007

Nada! (2)

Eu sei, já outra vez a falar dele, mas gostaria apenas de resalvar uma ideia transmitida ontem pelo CAA no Choque Ideológico da RTP-N. è uma ideia simples mas demonstra na perfeição o estado da ideolgia política em Portugal.
Dizia ele numa expressão simples que esta discussão sobre Salazar serviu para que alguma da "direita liberal, principalmente na blogosfera, deixa-se cair a sua máscara do liberalismo e demonstrasse realmente o que pensa e quem é. Neste ponto este debate foi muito esclarecedor".
Não podia estar mais de acordo (e quem me conhece sabe bem quanto é difícil).

segunda-feira, março 26, 2007

Nada!


Nada! Era o que eu ia escrever sobre o resultado daquele concurso de ontem. Mas lá no fundo, mesmo no fundinho tinha a vontade de o fazer. Essa vontade acabou por vir ao de cima, sobretudo por ver a importância que estão a dar à coisa, não os que ficaram, irritados por o Senhor das Botas ter sido escolhido como O Grande Português, aliás, não consigo resistir à ironia de ele, o grande inimigo da democracia, ter sido democraticamente eleito, mas por aqueles, aqueles que agora têm a liberdade de manifestar a sua opinião, de escrever em blogues, em jornais, façarem na televisão, manifestare, ideias liberais, estarem a festejar a eleição do Senhor.
Mas pior que eles são os que votaram Nele. Os saudosistas, os saudosistas da tortura da PIDE, da censura, dos assassinatos políticos, das prisões ilegais, de um Estado corrupto, de um Estado que mandou milhares de jovens para a morte e outras centenas de milhares para a guerra por Território Colonial condenado desde o final do séc. XIX. É triste, que eles que foram oprimidos por 40 anos, que viveram num Portugal decrépito, num Portugal afastado do mundo, nu Portugal de elites e de pobres, de muitos pobres. É pena que eles, os que sofreram mais com a ditadura agora a exaltem!
Mas pior que estes são os que , graças a uns homens de coragem, creceram e vivem em liberdade. São estes os que mais me entristecem, porque deviam prezar os valores da sociedade em que vivem, em vez disso não, votam e exaltam um regime ditatorial, que em tudo mudaria as suas formas de vida, os seus hi5, os seus blogues, a sua coca-cola. Esses sim, deviam ainda ter mais vergonha.
É claro, este resultado mostra o Portugal mesquinho, bufuzinho, autoritário, e o Portugal que morde pela calada, que tem uns valores máximos e na sua máxima estupidez vota em quem defende o contrário.
O resultado de ontem nem uma linha me merecia, o homem que escolheram ontem nem duas. Ele, está morto. E lembrem-se, vai ficar sempre assim!

domingo, março 25, 2007

Aviso à navegação

Vão tomar um cafézito, vejam a entrevista de Mário soares, vejam, até, a Bele e o Monstro, perdeu, Mestre. Agora aquele triste espéctáculo, típico de uma ditadura que pretende engrandecer os seus grandes vultos, e que, dos resultados (para aí 100,000 votos), se vai retirar grandes ilações(?) não vale a pena!

50 ANOS!



Foi há 50 anos que estes homens assinaram o Tratado de Roma, ou tratados, visto que foram 2 (CEE e Euratom). Convém sempre lembrar que foi graças à visão destes homens que a Europa vive, hoje, o seu maior momento de prosperidade, de igualdade, de liberdade, de cooperação e de desenvolvimento. Com a visão que eles tiveram de uma europa unida, uma Europa que cada vez mais se alarge e espalha os eus valores, vivemos o maior período de paz no velho continente, uma paz que, espera-se, dure.

Mas não nos iludemos, a Europa contunua, e continuará, a ser feita na diversidade e tudo o que tente fazer da Europa um "par de gémeos" que se seguem para todo o lado só consegue uma coisa, afastá-los mais. O acordo celebrado esta manhã é tudo menos uma vitória final, é um acordo entre a Presidência, o Parlamento e a Comissão, e só demonstrou como não foi possível chegar a um acordo no seio do Conselho. Há muito a fazer ainda, a reforma das instituições, é certo, é urgente, mas convém parar e pensar, não fazer tudo ao "molho e fé em Deus".


Uma última palavra: se há pessoa a quem devemos, entre outros, a nossa entrada na grande família europeia é a Mário Soares. Aliás, se há pessoa que nos vem logo à cabeça quando se fala na adesão de Portugal à CEE é ele. Por isso fica muito mal ao senhor Presidente convidar todos os participantes na adesão de Portugal à CEE para uma cerimónia (amanhã) em Belém e não o convidar a ele. Sejam quais forem os critérios de convite, se há pessoa, que neste assunto, não se pode passar por cima é ele. E o Senhor Cavaco devia sabê-lo e esquecer as birrinhas do passado!

sábado, março 24, 2007

Os heróis de hoje

Está mais de metade deste país a ver os milionários da Selecção Nacional de Futebol , classificada entre as 10 melhores selecções mundiais, a bater nos coitados da Bélgica, classificado na casa dos 50, e eu falo dos verdadeiros heróis de hoje, uma selecção de amadores, uma selecção que bateu equipas profissionais e que garante uma dupla "primeira vez": é a primeira vez que Portugal vai à fase final do Campeonato do Mundo de Râguebi e é a primeira vez que uma equipa puramente amadora acede a essa fase. Se isto não é de louvar, eu não sei o que é, se calhar é os milionários ganharem à Bélgica. Pelo menos o Serviço Público de Televisão achou que é mais importante gastar milhões com o jogo de alvalade, do que uns milharezitos com este.

Vergonha!

Amanhã comemoram-se os 50 anos da assinatura do Tratado de Roma, que levou à criação da CEE, posterior CE, ou também União Europeia. Portugal faz parte desse clube há 20 anos e muitos sociólogos dizem que tal facto, de fazermos parte de uma Europa unida, nos tornou mais civilizados.
O que acabo de ver/ouvir no estádio de Alvalade, onde o público assobiou enquanto tocava o hino da Bélgica (e não me digam que foram uns poucos, porque para se ouvir em casa...) só mostra que por vezes conseguimos ser uns trogloditas. Se o guarda-redes da Bélgica também o foi? Talvez, mas não disse nada inédito, sobretudo por estas bandas. Mas são comportamentos como os de hoje que mostram que, em alguns aspectos, ainda estamos bem longe dessa Europa una e civilizada!

lixa-se(2)

A bem dizer o texto falava sobre idas ao supermercado de manhã, e de como a vida das cidades é TÃO diferente da do interior, da forma como as pessoas se comportam no supermercado, da forma como nem ao sábado de libertam do stress da semana, como os produtos cá são diferentes, e do suplicio pelo qual eu passo para comprar pão para o pequeno-almoço ao sábado de manhã. Não vão poder lê-lo, e até estava bastante bom, ao contrário de tudo o que eu custumo escrever. Só podem culpar o Blogger por isso!

lixa-se

Estava eu a escrever um texto,e até era um bom texto, e esta porcaria que é o blogger não mo deixou publicar. Pior, apagou-o todo. e como aqui a pessoa escreve de improviso, texto e ideias era vê-los.
Sendo assim o leitor fica privado de o ler, porque o blogger (eu) ficou tão lixado que já não volta a escrever o texto!!!

O verdadeiro PP (que mais se pode dizer)

(com os devidos agradecimentos a quem se deu ao trabalho de digitalizar a imagem)

sexta-feira, março 23, 2007

Sexta




Eu sei, o título é do Corta-Fitas but i don't care! hoje falava-se desta senhora e dizia-se: "ai ela não vale nada". EU discordo e assim o provo, porque quem não gosta dela não gosta de ninguém!

A pedido!

O fantástico, o incrível, o iRack!

A Justiça (do povo)

Quero tudo menos tomar parte na história da pequena E. que foi entregue pela mãe a um casal, que a juiza mandou entregar ao pai biológico, que como, muito bem diz a Fernanda Câncio (num texto que vale a pena ser lido de ponta a ponta) há um ano atrás era um herói, inclusive para a Dona Fátima, que, segundo me dizem, agora, em cada intervalo põe a imagem do Sargento Gomes e há quantos dias ele está preso.
Mas agora tudo é diferente, agora o povo (com uma ajudinha dos media e dos programas da manhãdas privadas) tomou posição, e já lá se dizia que o povo é quem mais ordena. O que uma juiz de Direito, com uma confirmação da Relação, decide não conta. O que foi provado num julgamento não conta, o pai biológico, é um montro que apenas quer prejudicar a criança. E, de epente, todos se esquecem do que se está a falar, da criança em si. Fala-se da prisão "ilegal" do Sargento, das más intenções dos pais biológicos, da pobre mãe adoptiva que anda fugida. O povo tomou posição, e se o povo decide que tdo fica assim, tudo fica assim!
Mas isso não é bem assim pois não? Não é, e aí é que chega a questão. Ora se um tribunal (soberano) ordena que uma pessoa seja presa, por manter uma criança na sua tutela contra uma ordem do tribunal, porque é que estas situações ocorrem? Ou as autoridades já fazem o que lhes apetece. E ninguém investiga? Como é que decide sobre a guarda de uma criança se essa criança anda furagida com a mãe adoptiva? o que me leva a outra questão, será que as autoridades não sabiam, desde sempre, onde elas estavam?
Há histórias mal contadas, e esta continua a ser uma delas. Por isso é que não compreendo como é que alguém no meio de tanta confusão consegue tomar parte.

Estupidez

Esta notícia mereceria um comentário. Este pedido já foi atendido há mais de 10 anos e viram-se os resultados. Virem os senhores empresários dizer que é o fuso horário de Portugal que lhes prejudica o negócio em pleno século XXI, no século da comunicação, é pura estupidez. Se alguém lhes pedisse mais produtividade, aí sim, eu apoiava, agora virem com estes espalhafatos para vem se alguém lhes vira os holofotes não merece, sequer, um comentário, quanto mais uma capa de jornal!

quinta-feira, março 22, 2007

Favorzinho


Desculpem, não resisti!
(imagem descaradamente roubada daqui)

e depois os advogados é que são trafulhas

Pois é, parece que o Sócrates, não o filósofo, o outro, andou metido numas trafulhices lá na Independente. E parece também, que , além de não ser filósofo, também pode não ser engenheiro.
E em que é que ficamos? Agora trato o homem por Bacharel Sócrates é? Ou por Senhor Pinto de Sousa? Não sei, mas o parece que o "cidadão do mundo" tá em sarilhos!

quarta-feira, março 21, 2007

Há coisas fantásticas não há?

Uma delas é estar doente, a outra são os computadores portáteis. Eu sei, isso não interessa a ninguém, pelo menos não interessa tanto como os posts de uma linha apenas do João Miranda (que obtém centenas de comentários) e que, depois de uma leitura atenta do Daniel Oliveira (porque é apenas uma linha) proporciona aos seus leitores uma troca que ideologias (que de tão para a direita ou tão para a esquerda quase dão a volta e se tocam) e mesmo de insultos interessantíssima. Ora eu não vou insultar ninguém, nem mesmo contrapôr a ideia que o Duarte teve de dizer que a "betinha" da Paula Teixeira da Cruz poderia ser líder do PSD e "qui çá" Primeira-Ministra.
Ora eu não vou falar de nada destas coisas interessantes. Tou apenas doente, rodeado por uma batalhão de lenços de papel, cheio de dores no corpo, com a garganta tão inchada que até o chá que a "sô dôtora" mandou tomar custa a descer, com uma febre que teima em não desaparecer e tão entediado que até o som do vento chateia.Ah, além da dor da injecção de penicilina (raios que dói). mas por outro lado existe a fantástica tecnologia potátil, que me permite estar ao computador e na cama ao mesmo tempo. Mas afinal o que é que isso interessa? Pois, nada! Vou é voltar para o meu delirio que a "shôtora" recomendou descanço!

segunda-feira, março 19, 2007

O "Cata-Ventos"

O deputado Miguel Frasquilho faz-me lembrar um cata-ventos, ora vai para aqui, ora vai para ali, nomeadamente na área, de que se diz especialista, das finanças. Primeiro vêm, este senhor mais o seu partido (PSD), dizer que o OE de 2006 era mau, que ia levar Portugal à ruína e à instabilidade. Ironia das ironias 1 ano depois vêm invocar a estebilidade das contas e a folga orçamental para justificar uma baixa dos impostos. Medida mais popular à vista do vulgar cidadão não há, pois nada é melhor do que apelar ao bolso das pessoas para ser adorado.
Se calhar, digo eu, deviam voltar às aulas de Finanças Públicas, e aprender que os impostos são a melhor forma de combater o endividamento público (que está a crescer) e que nunca se baixa os impostos sem uma diminuição significativa da despesa pública, o que também não está a acontecer. Se pensassem melhor nestas coisas não andavam para aí de boca cheia a dizer barbaridades.

Descobertas

Devo confessar que até ontem tinha uma ideia na minha cabeça, pensava que no CDS-PP o PP era Paulo Portas, num dos seus exercícios de egocentrismo.
Mas afinal enganei-me, o PP era de Partido da Peixeirada!

domingo, março 18, 2007

então e a igualdade pá?

"Portugal já tem mais juízas do que juízes.
Em Portugal já há mais mulheres do que homens juízes nos tribunais de primeira instância. Elas também já são a maioria na advocacia. E há cada vez mais magistradas a ocupar lugares-chave na direcção da investigação criminal"

Olha que se não fica parece

sábado, março 17, 2007

Ditaduras da Minoria

Eu sei, a expressão costuma ser ao contrário, mas neste caso apetece-me que seja assim. Não sei porquê mas ultimamente tem-se criado uma sensação que a minoria é que tem razão e que a maioria (embora às vezes esteja) está sempre errada. Lembrei-me disto a propósito do Relatório que hoje o SOL publica, da autoria da NAV e que pelos vistos arrasa a localização geográfica do novo aeroporto. Ora eu estou perfeitamente à vontade para falar do assunto porque até sou contra essa localização, mas parece-me um pouco, vá lá, excentrica e reacção a esse relatório. Porquê? Primeiro porque não é o primeiro a referi-lo, segundo porque há outros que referem exactamente o contrário e não é por um ou dois dizerem não que passam a ter razão. Aliás, se tivesse-mos um jornalismo inteligente, de certo que ao abordarem a questão hoje, nem que fosse nas edições on-line , teriam a saloia esperteza de usar os dados referidos por um especialista em infra-estruturas (que agora não me lembro o nome) que, ontem à noite na SIC-N demonstrou por A+B que a perspectiva temporal do Governo para a concretização da obra falha porque se esqueceram do chuva na contagem dos prazos que decerto atrasará a colocação das terras que tem de ser feita em camadas de 30 cm e, como todos sabem, as máquinas não se dão muito bem com o trabalho na lama.
Mas adiante. Onde quero eu chegar com estas ideias, que ultimamente criam-se grandes espalhafatos com a opinião minoritária, conforme ela nos dá, ou não, jeito. Senão veja-se, pareceu durante muito tempo que os juizes do TC que votaram contra a pergunta do referendo é que tinham razão, que o juiz que votou contra no caso do Habeas Corpus do Sargento de Torres Vedras também, que o juiz que votou contra no recurso para a Relação de Coimbra no mesmo caso também; quue a minoria que está contra o Governo e o PS é que tem razão, etc etc.
Enfim, eu não estou a dizer a dizer que por vezes eles não têm razão, estou é a criticar a repercussão que se dá às suas opiniões, porque a manter-se esta ideia daqui a dias minoria é igual a maioria e vice-versa, e não é assim que uma democracia saudável sobrevive!

sexta-feira, março 16, 2007

Realpolitik


Só para lembrar que foi à 4 anos que Portugal fez de emplastro perante a maior farça das últimas décadas!

Insidioso?

Hei, o que é isto?

Parlamento chinês adoptou lei histórica que reconhece o direito à propriedade privada!
Realmente, já não há comunistas como antigamente. O Mao Tsé é que deve andar a rebolar na campa! Ele e o Cunhal, e o Lenine, e o Estaline, e o Marx, e o .......

Ai Sim! ainda bem que dizem porque eu nunca chegaria lá sozinho!

quinta-feira, março 15, 2007

Consumidor - Desculpe, quem?

Como típica pessoa corriqueira não fujo à corriquice e vamos lá falar do dia do consumidor, leia-se hoje.
Pois bem, a ASAE, que para quem não sabe foi apenas criada no ano passado e provou em pouco tempo que por vezes a desconcentração de poderes é nefasta e que, até, agora soube usar muito bem a comunicação social para passar um certo efeito dissuasor entre aqueles, que de uma forma ou outra, prestam um serviço a outro. Pois para defender o cidadão lá saiu hoje à rua numa mega operação e fechou, até agora, um hotel, 15 padarias, levantou contra-ordenações, fiscalizou veículos, inspeccionou outros estabelecimentos e apreendeu peixe na lota de Setúbal que não estava em condições de ser vendido ao público porque muito vinha em caixas de madeira, mas já estava em condições para ser doado ao Banco Alimentar.
Isto no mesmo dia em que um deputado do PS apresentou uma proposta de lei para eliminar as tarifas que os operadores da luz, água e gás cobravam pelos seus contadores, coisa que, aliás, nunca deveria ter existido, porque ninguém me pode obrigar a pagar uma coisa que é a empresa , e não o Estado, que me obriga a ter em minha casa.

Isto parece muito lindo, mas esta coisa passa-se no mesmo país em os consumidores tem ao mesmo tempo muitos direitos e muito poucos. No país em que muitas empresas públicas monopolistas abusam dos seus poderes contra os consumidores e os reguladores e o Governo nada fazem. No mesmo país em que o próprio Estado não respeita os cidadãos e tem posições que em nada respeitam os cidadãos enquanto consumidores dos seus serviços.
Mas já que este é o ano europeu para a igualdade e que o senhor Sócrates já tomou esse tema como uma das suas bandeiras vou-vos falar de mobilidade. Mobilidade neste país cheio de auto-estradas que em nada servem para quem não tem carro. Coitados dos que se têm que se submeter a transportes públicos neste país que é metropolitano e esquece que há mundo para além das grandes cidades. Neste país em que a concorrência é rara no sector dos transportes, porque é raro haver mais de um operador a prestar o mesmo serviço e se há a concorrência continua a não existir porque só muda o nome e o preço continua o mesmo (já nem falo do sector ferroviário). Neste país onde o consumidor tem que se sujeitar aos horários que bem apetece ao operador (há vida para além da hora de ponta sabem?) e que tem que pagar o que bem apetece ao operador por um serviço que na maior parte das vezes é mediocre.
Mas perguntam, o que é que mobilidade tem a ver com igualdade? Esquecem-se sempre do mesmo não é? Daquele que infelizmente não anda e que tem que usar uma cadeira de rodas. Se a nossa mobilidade é reduzida, imagine a deles, a terem que andar em passeios que são parques de estacionamento ( e não falo só de Lisboa). Não conseguirem entrar nos autocarros sem ajuda ,porque a maior parte deles é da Alemanha dos anos 80. Não conseguirem entrar na maior parte dos edificios, porque mais vale pagar a multa do que fazer os acessos, e as escadas são bem mais fáceis de fazer, e mesmo a vergonha de não poderem entar na maior parte dos edificios públicos. Não conseguirem entrar num comboio porque à distância entre a entrada e plataforma existe um degrau (tirando nos da Fertagus) a acrescentar.
Mas o exemplo máximo é o Metro de Lisboa. Corrija-me se estou errado, mas não há uma única estação do Metro de Lisboa que tenha uma acesso a cadeira de rodas. Entrada especial para cadeira de rodas? Isso todas têm. Algumas até um elevador têm entre a plataforma de embarque e o nível das portas, mas para a superfície? Nem uma. Algumas até têm o delicioso pormenor de subirem de nível para as bilheteiras e voltarem a descer ao mesmo nível para a plataforma de embarque. Talvez as da linha Vermelha tenham elevadores, não sei, não reparei, mas também é a menos utilizada.
É bom falar de consumidores, mas é bom que se lembrem de todos, porque até agora o Príncipio da Igualdade ainda não foi revogado!

Alguém falou em incompatibilidades? Naaaaa

Criar trabalho para a SISI

"Decreto-Lei n.º 61/2007
Ministério das Finanças e da Administração Pública. Aprova o regime jurídico aplicável ao controlo dos montantes de dinheiro líquido, transportado por pessoas singulares, que entram ou saem da Comunidade Europeia através do território nacional, bem como ao controlo dos movimentos de dinheiro líquido com outros Estados membros da União Europeia, e procede à primeira alteração ao Decreto-Lei n.º 295/2003, de 21 de Novembro "


Sabem qual é o limite? 10.000,00€. Uau, tanto! então e se eu levar 10.000,01€? Sou preso? Sou um burlão? Ou simplesmente gosto de andar com dinheiro no bolso? A SISI precisa de trabalhar, nem que seja à força.

*

E já agora, o Sócrates passou-se não?, mas que ideia estapafúrdia é essa de ser o Governo a estabelecer as prioridades de investigação do Ministério Público em detrimento de outras e mesmo poder intervir na investigação e, pasmem-se, fazer recomendações sobre as intervenções orais do MP em audiência final(!).
Eu pensava que isto ainda era um Estado de Direito Democrático, mas de repente parece-me um Estado de Direito Socrático!

quarta-feira, março 14, 2007

Os "e-mails"


De certo que sabem bem do que vou falar. Pois vou falar daqueles e-mail's irritantes que as pessoas, por burrice, estupidez, parvoíce, ou mesmo vontade de nos irritar insistem em mandar, nem que seja para nos encher a caixa de mensagens e dar-nos ao trabalho de os ler, porque a maioria das vezes vêm sem assunto. Aqueles do Andy e do outro que avisam que o Hotmail vai fechar de vez; da menina do "se não enviares este e-mail a 10 pessoas vais morrer atropelado por um camião" e etc's; os avisos da PJ a dizer que se se marcar o PIN do multibanco ao contrário a polícia é avisada em caso de urgência; as mensagens das meninas e do "se mandares a 10 pessoas em 10 minutos os teus desejos tornam-se realidade( é verdade, já aconteceu comigo), se não mandares a ninguém vais ter muito azar"; os inquéritos sobre quem a pessoa, é, sobre o que gosta de fazer, quem são os amigos, como se as pessoas que nos enviam o e-mail não soubessem.

Perdoem-me tanta parvoíce, mas para mim uma caixa de e-mail é como o correio de lá de casa. E se no correio lá de casa só recebo o que eu quero e não estas coisas estúpidas ( que não têm outro nome) então espero ter do meu e-mail a mesma importância e seriedade que uma caixa de correio tem.

terça-feira, março 13, 2007

Uau!

De certo que o caro leitor tem a companhado com todo o interesse o caso da bebé que foi raptada há 13 meses no Hospital de Penafiel. Agora o que eu ja me começo a passar um bocadinho é com o tratamento que os media têm dedicado ao caso. Não sei, se calhar sou que que sou muito exigente, mas é preciso tanta coisa? Tanto directo, tanta análise, tanta perseguição, tanta investigação? Não chegava dar a noticia, relatar a felicidade dos pais e ficarem por aí? Não, sei, digo eu.
Mas vão ainda mais longe, comparam casos. Ora esse extraordinário exercício de comparar o que não é comparável é que leva a certas afirmações e certamente descridibiliza, ou devia descridibilizar, quem as faz. Falo da fantástica comparação feita em reportagem pela SIC, que compara este rapto e as suas circunstâncias com um rapto nos EUA e no qual a criança demora apenas 3 dias a ser recuperada. "-Uau!" dirá o leitor, pois, uau. "Uau!" se a norte-americana raptora não tivesse passado de frente em todas as câmaras de segurança e não facilita-se a sua identificação. "Uau!" se a norte-americana não tivesse estacionado a carrinha à frente de uma câmara de segurança com a matrícula de fácil leitura.
Uau! não é, a eficácia dos jornalistas a comparar o incomparável. Se ao menos fossem tão eficazes a assumir os erros que fazem!

Era disto que eu falava quando me referia ao facto de ele não falar!

segunda-feira, março 12, 2007

Dois anos de Governo Socialista(5) -as partes boas

Peço desculpa por um céptico, mas também sei que os resultados demoram a atingir. Mas por outro lado o tempo escasseia a este governo e os resultados são escassos. A determinação, bem, acho que não há qualquer dúvida que esta existe, que o espírito reformista está lá, nem que seja em áreas que não precisam, tal é a ânsia de intervir.
Por outro lado o défice foi reduzido, à custa da subida dos impostos é verdade, mas é um importante sinal, principalmente para os investidores internacionais. Pena é que a descida do défice tenha sido acompanhada pelo aumento da dívida pública, é um mal que bem se pode afastar.
Ora o programa Simplex, esse sim tem sido uma boa iniciativa, mas , e tal como todos os "planos" que este governo tem a presentado, está atrasado, e muito. Mas a "empresa 24", a entrega de IRS pela internet, o cartão único (problemas de centralização à parte), a notificação judicial na internet, a maior eficácia fiscal através do cruzamento de dados entre a Segurança Social as Finanças, o cruzamento de dados entre o Centros de Emprego e a Segurança Social, etc.
Tal como a reforma da Justiça. Os resultados da diminuição dad férias judiciais é quase nulo, mas a simplificação no processo civil e no processo fiscal e tributário tem a judado muito.
Nas finanças (as eleitas deste governo)os resultados têm sido até bastante bons: maior eficácia fiscal, o combate à fuga de capitais e à fraude ao fisco, o controlo das contas públicas, a criação dos auditores de contas em cada ministério.
Mas se era para falar em coisas feitas tavamos aqui o resto do dia todo, mas é pena que nem todas elas sejam boas. O aparato com que cada é apresentada tranpõe para a opinião pública a sensação que este governo, bem faz muito, ora eu digo que planeia muito, planeia, mas não faz tudo o que diz que vai fazer, porque se fizesse, e fizesse a tempo e horas estavamos nós bem. E o pior é que também não faz não faz tudo bem, tanto não faz que os resultados urgem e urgem, mas elees, os safados, não aparecem.
Há problemas que só se resolvem com medidas concretas e incisivas, não com mera propaganda. Ah, e com diálogo também!
Parece que falei um pouco mal outra, mas já lá diziam, "não é fácil falar bem, tal como não é fácil falar mal".

Dois anos de Governo Socialista(4) -as partes más


Mais desemprego, procuram-se os 150.000 empregos prometidos (devem ter-se perdido a atravessar Espanha).

Teimam na OTA, mesmo sabendo que em 2030 vai estar saturada, mesmo sabendo que o nível de segurança do aeroporto vai descer em relação à Portela, mesmo sabendo que as obras de engenharia que são propostas demorarão muito mais do que se prevê, mesmo sabendo que se vai retirar muito do turismo de Lisboa que está a crecer anualmente, mesmo sabendo que não tem possibilidades de expansão, mesmo contra conselhos de painéis técnicos, etc etc etc.

O TGV Porto-Lisboa não é solução, não em relação aos 800 milhões investidos na linha do Norte que vai distanciar Lisboa e Porto em 2,30h.

O PRACE, aquele que devia estar completo no final de 2006, atrasado, sendo que apenas 2 lei-orgânicas dos Ministérios foram aprovadas.

Os impostos aumentaram e aumentam cada vez mais, sendo que a despesa em vez de diminuir aumentou.

Fecharam-se maternidades e as soluções não são as melhores, agora temos bebés a nascer em ambulâncias.

Cada vez à maior desigualdade social e cada vez há mais deslocalizações de empresas, e os grandes investimentos anunciados com grande poupa e circunstância pelo senhor Pinho ou falharam, ou foram um fiasco ou a produção de emprego foi muito escassa em comparação com os incentivos públicos.

A reforma da educação, do ensino superior e da saúde tem sido feita com autismo e os resultados escassos (principalmente na educação).

Ao contrário do anunciado a justiça está mais lenta, mais cara, menos célere, e a reforma do mapa judicial e do código penal e processo penal vai sendo adiada.

A cultura, isso existe?

A atrapalhação nos casos dos vôos da CIA só nos retirou credibilidade.

As exportações aumentaram, mas também as importações. E o crescimento em 2006 afastou-nos ainda mais do crescimento europeu.

Faltam dois anos para o final da legislatura e o próximo semestre vai ser um semestre parado com a Presidência da União Europeia. Ainda falta muito para fazer e 2008 é ano de preparação para eleições.O tempo urge e há muita coisa para fazer.

Logo falo das partes boas da Governação.

Dois anos de Governo Socialista(3)

Santana Lopes prevê cisões no Centro-Direita e abre mesmo a possibilidade de criar um novo partido.
Não fosse Sócrates andar a ocupar o centro-direita e a baralhar esta gente toda, nada disto acontecia.

Dois anos de Governo Socialista(2)

Dois anos de Governo Socialista

O governo socialista nomeou, em dois anos, 2373 pessoas para cargos nos gabinetes ministeriais. E depois ainda dizem que este governo não tenta combater o desemprego!

domingo, março 11, 2007

Sem dúvida, a Primavera é uma péssima amiga deste blogue!


sábado, março 10, 2007

Closed for today!


Com este tempo primaveril o que é que estão a fazer am frente ao computador?
Como eu adoro a primavera, aliás, para mim devia ser sempre primavera. Detesto extremos, o calor insuportável do Verão, e frio e chuva do Inverno que nos retiram a moblilidade. A Primavera não, é o seu limpo, as árvores em flôr o sol raiante, mas não insuportavelmente quente.
E ainda nos queixamos, os portugueses, com este clima e com este país temos mais é que ser felizes!

sexta-feira, março 09, 2007

Governar ou "Presidenciar"?


Diz que Cavaco Silva cumpre hoje um ano de mandato (e eu que pensava que tinha sido ontem, mas adiante). Não sei bem , mas a mim parece-me que até agora tudo o que tenho lido e ouvido sobre esta efeméride fala-se mais sobre o trabalho do Governo do que sobre o Presidente em si. "Porque será?",pergunto eu. Pois não sei, mas sei que uma coisa é certa, a colagem do PR às acções do Governo. Popularidade? Apoio da base eleitoral do governo? Cooperação institucional? Escolham.
Mas uma coisa eu sei, e graças a Deus tenho uma boa memória para estas coisas, é que Cavaco está a ser um Presidente tal e qual como os outros. Todos cooperaram com os governos (mais ou menos), todos tiveram os seus roteiros, chamassem-lhes presidências abertas ou presidências de proximidade.
O pacto da Justiça não foi nenhuma inovação, foram Sampaio e Judice quem o começaram.
O envio da L.F.L. para o Tribunal Constitucional foi uma maneira de contornar as críticas dos autarcas. Se realmente cavaco tinha dúvidas não era de certeza quanto à concorrência fiscal.
A visita de Estado à Índia? Sim, grandes resultados com certeza.
Já nem vou falar quanto ao aborto.
Mas realmente tivessemos um Presidente que intervém, que se preocupa, então não tinhamos um presidente calado como temos. Tinhamos um Presidente que criticava os avanços e recuos e as "patas na poça" de Correia de Campos. Tinhamos um Presidente que alertava para as asneiras de Manuel Pinho. Tinhamos um Presidente que alertava para as inúmeras asneiras de Isabel Pires de Lima. tinhamos um Presidente que alertava para as inconcistências da reforma na Administração Pública. Tinhamos um Presidente que alertava e falava sobre a reforma do ensino e da administração interna e da segurança. Tinhamos um Presidente que alertava para o, cada vez maior, afastamento de Portugal da média de crescimento europeu.
O que temos não é um Presidente inovador, é um presidente como os anteriores, mas que se cola mais às acções do Governo, a ver se vai na onda.

quinta-feira, março 08, 2007

Eu Nerd!

-Tens Hi-5?
- Eu não!
- Mas em que mundo é que tu vives?
- Ah, mas tenho um blogue.
- Pois, mas isso é para nerds!

Bolonhês?

Acabo de vir de um colóquio em que se falava da adaptação das profisões jurídicas á noa realidade que é a licenciatura em Direito dentro da Reforma de Bolonha. A fina flôr estava lá representada no meio de uns quantos alunos aos quais a única coisa que lhes interessava era:"o que vai ser da minha vida com uma licenciatura em Direito de 3 ou 4 anos?" Aliás, não são precisamente 3 ou 4 porque depois chega a estratégia, tipo futebol de 5 de 3+1+1 ou 3+2 ou 4+1 e etc.
Mas se pensam que em Direito a resposta é clara, bem, desta vez foi clara de mais. A conclusão?
Parece que neste páis à beira mar plantado, por entre as vertentes de autismo e nespotismo do nosso querido Governo que se recusa a dialogar com quem quer que seja e adopta a célebre posição do "quero, posso e mando" nestas matérias, uma licenciatura em Direito vale mais ou menos nada. Ou melhor, estão a ver os bacharelatos. Bem, digamos que nem isso. Vamos ser um belo país em que a mediocridade dos mestrados "à-la-carte" das faculdades privadas (e não só) afastarão os bons das profissões jurídicas e premiarão quem tem dinheiro para os tirar.
E assim se reforma um dos cursos mais importantes da sociedade, pois como alguém disse: "o médico salva vidas e o arquitecto constrói as casas, mas é o Direito que diz quem e como se pode salvar e quem e onde se pode construir." Eu acrescento, se a pessoa tem dignidade humana é porque o Direito lha atribui, pois foi através da evolução do Direito que ele a alcançou!

Para Elas!

No seu Dia!

quarta-feira, março 07, 2007

Empregos para a vida?

Cá vai mais uma versão liberal aqui da minha pessoa. Honestamente acho muito bem que os trabalhadores a Função Pública sejam avaliados. E se são avaliados deve-se retirar as devidas consequências do facto de terem avaliações negativas.
Mas atenção, não é cair nas falácias populares, que todos são calões, que ninguém trabaçha na Função Pública e, o mais importante de tudo, uma avaliação séria, que não ceda aos gostos do superior hierárquico, a quem bajula mais o superior hierárquico, à célebre e dita cunha, que em vez de melhorar os profissionais na Função pública, os despede porque simplesmente não se vai com a cara da pessoa.
Mas atenção, a medida, no seu conjunto, é positiva, mas no fundo pode conter muitos erros que têm, e devem, ser evitados.

Sim, sim, foi mesmo há 50 anos

Diz que foi há 50 anos!

terça-feira, março 06, 2007

Bora lá rir um bocadinho

Santana Lopes é Professor na Universidade Independente. Mas vejam lá o grau académico com que é apresentado.
Mas cuidado, não riam muito que vos faz mal!

Mou...quê?

É só lembrar esta imagem. Não importa quem está lá, mas a camisola que vestiam e a camisola que vestem.
Os outros? O dinheiro não é tudo!

hoje acordei assim

Como a música, não como o António Variações!

segunda-feira, março 05, 2007

Choque tecnológico a tua tia

Portugal. Século XXI. País que almeja um choque tecnológico. País que se diz moderno. País que se diz desenvolvido.
Vem isto a propósito de quê?
Pois bem, digamos que enviei um e-mail a uma pessoa na quinta-feira com um sinal de URGENTE. Ora urgente quer dizer: "que urge; que não admite delongas; que é necessário fazer-se rapidamente; inadiável".
Tão a ver não estão. Hoje é segunda e resposta? Nada! Pois bem! Lá tive que pegar no telefone e discar o 1820 (aquele que a PT conra até ao tutano) para descobrir o número da pessoa. Liguei e imaginem qual a resposta?
"Pois, mas eu não vejo o mail desde quarta-feira." Desde quarta-feira? Uma pessoa que o único contacto que fornece é o e-mail e não o vê desde quarta-feira?
Pois bem meus amigos, este é o país do "Choque Tecnológico" do Sr. Sócrates, auele que está coberto pela banda larga, aquele do IRS entregue pela net, etc etc
o país para o qual o email ainda só serve para o messenger e para e-mails com piada. Um país que se quer desenvolvido, mas quer chegar lá às costas dos governantes e não à custa do seu esforço!

A propósito daquela coisa triste de que falei aqui ontem

Sem dúvida mais um momento triste deste blogue. A cargo do Criâneo!

Aquele cujo nome não se pode dizer

A propósito do que escrevi ontem algures neste blogue sobre aquelas coisas estúpidas que aconteceram no Sábado em Santa Comba Dão, e pelo que tive o cuidado de perguntar a um caro amigo meu (santa-combadense), a maior parte daquela gente que gritava "Salazar", realmente, não era de lá e, aliás, a maior parte das pessoas de lá até ficaram envergonhadas pelo que viram ser transmitido da sua terra na televisão, a TSF está a ter o cuidado de fazer um Fórum a propósito "daquele-cujo-nome-não-se-pode-dizer". Até agora mais ou menos 10 ouvintes, pelo menos 6 deles a falar bem do "Senhor do Vimieiro", outros tantos a falar mal dos capitães de Abril, outros tantos a falar mal de Mário Soares, outros tantos a falar mal dos governantes de agora e a dizer que havia de haver muitos Salazares hoje em dia, a dizer que ditadores são os que governam agora, a dizer que Salazar desenvolveu o paíse os que vieram a seguir enterraram-no,a dizer que Salazar salvou os judeus do Hitler, a dizer que quem morreu no Tarrafal eram os traidores e que morreram, um a falar de "mamões", outro a falar que havia de haver de novo o Tarrafal para mandar alguns para lá, outro a dizer que não há liberdade agora e que até proibem manifestações (?).
Enfim, enquanto escrevi este post já apareceram umas pessoas mais razoáveis a dizer o que realmente Salazar fez, o que realmente fica da memóra de Salazar. A falar do ressurgimento de memórias ditatoriais que , para alguns portugueses, seriam a solução para os males que subsistem neste país. A falar que não é essa a solução, os problemas não se resolvem com ditaduras e com opressão.
Mas afinal já dediquei demasiadas palavras para quem não merecia nem uma.

domingo, março 04, 2007

O cúmulo da estupidez!

Pensava este caro blogger que depois dos posts desta manhã este blogue não podia bater mais no fundo. Enganei-me! Numa deriva bloguistica, no seguimento de um sem fim de links fui parar aqui. E eu a pensar que não podia haver pior blogue neste mundo do que o meu. Pois, enganei-me de novo.
Então cá vai uma citação do dito, do cúmulo do Narcisismo, ou então ( talvez o mais provável), da estupidez! Ele, e só ele, Cláudio Ramos:

"Manifestos anónimos...
A toda a hora nos chegam manifestos anónimos. Por mail, carta, no hi5, no blog, no telefone, nas crónicas de imprensa... Não gosto de gente anónima. Não se irritam com isso? Claro que se irritam, porque os anónimos regra geral escondem-se por vergonha do que fazem e porque não existe neles coragem de assumir as suas ideias ou, em muitos casos, a falta dela. Os anónimos metem nojo. Dão nojo. A mim, a quem os rodeia e naturalmente a eles próprios. São fracos, pequenos, idiotas e uma merda para a sociedade onde, muitas vezes, gostavam de pertencer, mas onde nunca lá irão chegar, porque os anónimos não mostram a sua verdadeira cara. As suas verdadeiras ideias. Escondem-se atrás de um nome falso, de uma ideia falsa de uma falsa verdade. Os anónimos são acima de tudo invejosos. E a inveja é um mal sabor. Não é?"

Ora, para efeitos bloguisticos eu sou um anónimo. A não ser certas e demasiadas pessoas que teimam em ser meus amigos (coitados) ninguém sabe quem eu sou, tal como algumas pessoas neste país não sabem quem é essa figura que é Cláudio Ramos ( eu sei porque a Dona Cidália, empregada lá de casa teima em ver a Fátima nos dias em que eu almoço em casa). Por essa ordem eu, e Claúdio Ramos, somos anónimos, e por essa mesma ordem somos todos os bonitos adjectivos que ele usa no seu texto!
E podem ter a certeza que estão chateadissímo. Ah pois estou. Fulo. Já nem vou dormir hoje. Amanhã meto baixa, ou férias. Entro em depressão e fecho-me em casa. Livra, a aminha vida nunca mais vai ser o mesmo!

Entretanto não é só o PP que está confuso!

(é impressão minha ou há ali gente que não se parece nada de Santa Comba?)

Entretanto não é só o PP que está confuso!

(é impressão minha ou há ali gente que não se parece nada de Santa Comba?)

Olha, olha, afinal há mais um!

Aqui está o outro.

PP e não só!

O Paulinho: um evolucionista da sua própria pessoa!

Eis uns vídeos que demonstram a evolução política, ideológica e "de imagem" do PP. Muito mais interassante que a evolução da Humanidade!

sábado, março 03, 2007

Tradições (3)



Mais dois "caretos", "diabos", enfim, o que lhes quiserem chamar. Não sei se já o disse, mas estas máscaras são feitas a partir do troncos de árvores, , sem quaisquer colagens. Imaginem o trabalho e a perícia que é preciso e o valor que elas têm!

sexta-feira, março 02, 2007

E com hora marcada(2)


O "Paulinho" ( se chamam Zézinha à Nogueira Pinto eu também posso chamar "Paulinho" ao Portas) já voltou ao activo há mais de 24h. Já se nota a oposição de qualidade, não nota? As críticas fortes e construtivas a Governo, as propostas alternativas e consistentes.
Ai, desculpem afinal era só a direcção do CDS a responder à direcção do PP.

(Já agora, reparem lá no dedo do Paulinho, não resisti)

*
Já agora, vejam lá esta feita pelo João Villalobos, é de morrer a rir!

Etiquetas: ,

(Não) Comprem, (não) Comprem!!!!

Tradições (2)

Nesta imagem os caretos atiram coisas às pessoas (leia-se farinha, ovos, tomates podres, etc). No fundo da imagem vê-se um "câmara" da TVI que fugia dos objectos descritos, e praguejava entretanto.

Um dos "caretos" guarda os potes. Garanto-vos que aquele pau foi mesmo usado contra alguns!

quinta-feira, março 01, 2007

E com hora marcada

Rejubilemos! D. Sebastião vai voltar! Com hora marcada e entre os Jerónimos e a Torre de Belém, simbolos máximos do Império Português. Salvos, estamos salvos.





Oh, afinal é só o Paulinho das Feiras!