sexta-feira, fevereiro 09, 2007

É a vida....

Independentemente das sondagens que hoje se publicam, que são para todos os gostos, 98 ensinou-nos algo: até ao lavar dos cestos é vindima.
É por isso mesmo que é preciso apelar ao voto, é preciso ir votar no domingo, nem que seja para acabar com esta discussão de uma vez por todas.
Privados que estamos de fazer campanha até às 20h de Domingo há que ser pragmático. Pretende-se , acima de tudo, que o povo português mostre que é capaz de executar um simples exercício de cidadania.
O referendo é o instituto máximo de democracia, é a voz directa do povo que se manifesta, num tema que se revela de interesse nacional. A Constiuição e lei do referendo prevêm a sua vinculatividade a partir dos 50% de participação (embora como já explicamos retire o exercício de voto a alguns, somando-os aos abstencionistas), e ao fixar tal limite, pretende que o resultado de um referendo vincule tudo e todos, inclusive o próprio legislador, que ficará obrigado a legislar, ou a abster-se de tal acto. Assim sendo, pede-se que seja o cidadão comum o executor priveligiado de uma alteração legislativa.
Votar no domingo é um exercício, não só de cidadania (vote-se Sim ou Não), mas também uma prova de responsabilidade democrática. Provar ao legislador que não só se interessa pelo tema como quer resolver uma questão fracturante na sociedade portuguesa.
No Domingo, Vote Sim ou Vote Não, mas Vote!

(publicado também no Pelo Sim!)

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial