sexta-feira, fevereiro 02, 2007

GRANDES

Fui interpelado à pouco com uma pergunta incómoda: Quem era para mim um grande português? Aliás até uma pergunta bem feita, um grande português, não O grande português, porque isso seria algo impossível de alguém responder.
Optei por duas pessoas. Optei por duas porque são pessoas que contribuiram para eu viver como vivo hoje em dia, com liberdade, democracia, igualdade, justiça social , num Portugal, não muito desenvolvido, mas muito afastado daquilo que era, e do que se previa que viria a ser, à 32 anos atrás. Contribuiram de forma diferente, contudo.
Salgueiro Maia é uma personificação dos Capitães de Abril. Homem fulcral para a Revolução dos Cravos. Para o derrube do regime salazarista. Para que Portugal seja hoje uma democracia. Um homem de coragem que enfrentou 2 tanques com uma granada da mão, num dos momentos mais tensos do dia 24. Homem fulcral para que não se espalhasse sangue no Largo Do Carmo, para que a Revolução pudesse ser a dos cravos e não de outra coisa, para que os antigos dirigentes pudessem sair do país intocados por tantos que exigiam as suas cabeças. Depois afastou-se, o seu dever estava cumprido.

Mário Soares continuou, de certa forma, o trabalho do primeiro e seus pares na construção de um Portugal livre e democrático ( ao contrário do que muitos queriam na altura). Os 3 D's foram cumpridos como muito bem dizia Vasco Pulido Valente na última terça (O Portugal de... RTP). A Democracia tornou-se uma realidade com a Constituição de 1976 e a posterior revisão de 1982 que aperfeiçoou o regime democrático de uma forma que não era possível em 1976. A Descolonização em Àfrica foi feita, e se não foi melhor foi porque foi intensamente condicionada pelas chefias militares que foram quem, no terreno, efectivaram a real descolonização, e no caso de Timor, sinceramente, que mais podia ser feito na altura? Morte até ao último homem como dizia Salazar? O Desenvolvimento foi começado por Soares (se não por quem mais?) com a entrada na CEE, pois, por mais que se seja anti-europeísta ou eurocéptico, não se pode deixar de se reconhecer que foi graças à adesão à CEE que Portugal atingiu o nível de desenvolvimento de hoje. Depois foi só gerir o que vinha.
Além disto foi Presidente da República, fundador de um dos maiores partidos portugueses (PS), deputado, ministro dos negócios estrangeiros, primeiro-ministro, deputado, etc etc etc.
São opiniões pessoais, mas tenho pena que estes dois GRANDES senhores não estejam na lista final do concurso da RTP, mas, afinal, cada um é que sabe quem é o SEU grande português.

2 Comentários:

Blogger sunnyyang813 disse...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

22:51  
Blogger Лев Давидович disse...

Meu caro, bem sabes que são, também, as minhas principais escolhas.

01:26  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial