segunda-feira, dezembro 18, 2006

Desejos



Provavemente este será o último post deste ano.
Resta-me desejar a todos os leitores e leitoras deste blogue um santo e feliz Natal com desejos de paz (que vai sendo cada vez mais escassa) e de um óptimo Ano Novo para todos.
Sejam Felizes!

domingo, dezembro 17, 2006

Se a TIME diz...

Acabei de saber que fui considerado personalidade do ano pela revista TIME.
Ohhhhhhh, afinal parece que não fui o único!


Time

sábado, dezembro 16, 2006

Gramaticando

Como se o nosso ensino básico e secundário já não fosse mau, alguns dos nossos queridos linguistas e a senhora ex-Ministra da Educação (aquela que não ia responder ao Parlamento porque achava que não tinha interesse) decidiram inventar uma coisinha chamada TLEBS que não serve mais do que para pôr mais um bocadinho de caos naquilo que já é caótico por Natureza.
Felizmente alguém se interessa pela nossa língua e pelo nosso ensino e pôs a circular uma petição contra a Terminologia Linguistica Para os Ensinos Básico e Secundário.

Grandes Capas(imitando alguém)

"A Velha Senhora"

Estes últimos acontecimentos em torno do lançamento do livro de Carolina Salgado faz-me lembrar como Portugal é um país bipolar. Ora somos uns e tá tudo bem, ora toda a gente acorda e fica tudo muito ultrajado com o fenómeno da corrupção, como se ela não existisse e tivesse ali "guardadinha" numa caixa à espera que alguém abra a dita e faça alguma coisa acerca dela, sendo que desta vez foi motivado pelo uma separação amorosa.
Flash News: a corrupção existe, existiu e existirá. Há anos que um grupo de inconformados fala nisso. Há anos que esse grupo alerta para a corrupção que se instalou na sociedade protuguesa e que vai além da triade habitual (câmaras-futebol-construção civil), já atingiu partidos, ou já se esqueceram do relatório do TC que põe em causa alguns financiamentos doa partidos; e a administração pública, polícias, etc etc.
Não não estou a abusar, e se abrirem bem os olhos qualquer um consegue ver isso, não é preciso virem livros contar a história de "x" ou "y".
Como se combate? Reforço de meios especialização desses meios, e sobretudo, maior controlo sobre os meios de combate, para evitar fugas de informação que muitas vezes levam a que investigações de meses e mesmo anos vão pela pia abaixo. O PGR acabou de provar que não é preciso mexer na legislação para tornar o combate à corrupção, não só desportiva, pois essa é das que menos interessa; é preciso é melhorar e afectar os meios.
Maria José Morgado é uma óptima escolha. Ter uma equipa inteira a tratar da corrupção é uma óptima notícia (lembro que o processo Apito Dourado foi investigado por apenas um procurador).
Esperemos é que não lhe voltem a fazer o que lhe fizeram quando ela estava na PJ, porque a corrupção não pode outra vez cair em saco roto (ou azul).

Os "nãos"

Se bem que me tenho dedicado ao tema do referendo à despenalização da IVG no outro blogue tenho que escrever isto aqui, pois a carta de intenções acordada pelos autores não me deixa dizer lá o que vou dizer aqui.
Falo-vos dos movimentos, partidos, mas sobretudo de algumas pessoas que defendem o NÃO. Digo algumas pessoas, porque conheço muitas que são extremamente racionais quando falam do tema e tentam ao máximo transmitir as suas ideias.
Mas as pessoas de que vos vou falar não são assim, passam a vida a tentar desvirtuar a pergunta do referendo, dizendo que é um embuste e que o aborto vai tornar-se um método contraceptivo em vez de um caso extremo. Amiguinhos, os portugueses sabem ler tá? Vejam se aprendem também para não andaren para aí a dizer besteiras.
Mais, continuam a dizer que o projecto de Lei do PS que será apresentado no caso do SIM ganhar vai liberalizar o aborto, encher as clínicas privadas de dinheiro e subsidios para "matar os fetos", etc etc. Pois, parece que essas pessoas são omnipotentes, pois mais ninguém conhece o Projecto de Lei do PS, a não ser eles.
Mas sobretudo o que mais me irrita é o constante ataque ataque a quem defende o SIM, ainda por cima ataques pessoais.Há pessoas , como estas, que passam a vida a atacar a credibilidade de quem defende o SIM, com ataques pessoais como os que fizeram a Pacheco Pereira quando este manifestou que iria votar Sim, ou os que constantemente atacam a Fernanda Câncio por ela defender o SIM, and so on so on. Porque no fundo, apenas eles são bons, apenas eles têm razão, apenas eles sabem tudo sobre tudo, e o resto é tudo uma cambada de burros que não sabe o que diz.
E mais, só os estudos deles estão correctos, porque eles e a sua Universidade Católica é sabem fazer estudos e sondagens, os outros não.
Eu sei que no início desta campanha se apelou, e eu também o fiz, para que ouvesse uma discussão saudável e com um debate de argumentos entre as partes. Infelizmente há pessoas que não sabem o que isso é. Vamos deixá-los em paz daqui para a frente, porque falar neles e dar-lhes a importância que eles não merecem.
Disse!

quinta-feira, dezembro 14, 2006

As "Custas" Custam

Ar de Jurista: Art. 20º da Constituição da República:
"1- A todos é assegurado o acesso ao Direito e aos tribunais para defesados seus direitos e interesses legalmente protegidos, não podendo a justiça ser denegada por insuficiência de meios económicos.
2- Todos têm direito, nos termos da lei, à informação e consulta jurídicas, ao patrocínio judiciário e a fazer-se acompanhar por advogado perante qualquer autoridade.
...."

Faço-vos esta citação a propósito da Lei mais estapafúrdia que os senhores Pinto de Sousa e Costa (o Alberto) querem fazer aprovar desde que chegaram ao poder. Tal Lei consiste, e vamos falar sem rodeios, no pagamento de todas as custas judiciais e custas de mandatário pela parte perdedora de um processo.
Dizem eles que tal disposição serve para restringir o acesso aos tribunais de forma a tornar a nossa justiça mais célere e eficaz. agora com muita atenção voltem a ler o primeiro parágrafo deste post.
Agora pensem, mas pensem pela vossa cabeça. A que custo vamos tornar nós a nossa justiça mais célere? Eu digo-vos, à custa dos mais fracos. Senão vejamos, os honorários são uma estipulação entre o advogado e o seu cliente, e ao estarmos a pôr no perdedor a factura do advogado da outra parte estamos a criar um problema, porque a parte que vai pagar não foi a parte que chegou a acordo com o advogado e invariavelmente vai discordar, e ao discordar o que é que vai fazer? Pôr uma acção em Tribunal a contestar os honorários do advogado e assim entupir os tribunais com mais acções.
E mais, como se sabe a maior parte das acções em Portugal são entre bancos, seguradoras, imobiliárias e os respectivos devedores. Lógica da batata: os primeiros contratam grandes firmas de advogados que não cobram menos de 500€ hora e os outros, coitados dos outros. Invariavelmente os segundos perdem as acções, e acham mesmo que o senhor "Idácio" tem dinheiro para pagar? Mais uma acção do advogado a pedir o pagamento dos seus honorários.
Por fim falta o pagamento das custas, que em vez de providenciar o acesso de TODOS aos tribunais, são cada vez mais altas.
Restam-me com duas perguntas finais: primeiro se o Estado quando perder também vai pagar o advogado ou é preciso (como é quase sempre) imterpor uma acço em tribunal (mais uma)? E já agora, aqueles senhores que, infelizment, precisam de patrocínio judiciário, também têm que pagar ao advogado todo o poderoso?
É mais uma Lei que manda os princípios constitucionais para o caixote, esperemos é que tenham a decência de não a tirar da gaveta.

segunda-feira, dezembro 11, 2006

E amanheceu o dia

O meu colega de outras lutas decidiu encerrar o seu blogue pessoal. É com grande pena o vejo a fazê-lo, não devia. Ele lá tem as razões dele, mas não devia. Não devia porque os seus leitores gostavam do que ele escrevia, fosse qual fosse a exposição, argumentação ou simplesmente desabafo pessoal. Já lhe disse que talvez deve-se começar outro projecto. Duvido que o faça, é de ideias fixas. De qualquer forma acaba um dos primeiros blogs que li e que me levou a ficar um fã da louca e esquizofrénica blogosfera.
Ele termina o Madrugadas, talvez porque o dia começou....

domingo, dezembro 10, 2006

Dia triste

Hoje não pode deixar de ser um dia triste. Mais uma vez um ditador assassino morreu sem ser levado à justiça. Mais uma vez milhares de famílias desesperaram por ver o homem que destrui as suas vidas ser levado sem nunca ser julgado pelos seus crimes.
Eu ainda fico espantado como certas pessoas (incluindo bloggers de referência) conseguem falar de Pinochet como se ele fosse um herói, o Homem que livrou o Chile do comunismo, de se tornar num "Cuba 2", mesmo que para isso tenham morrido centenas, senão milhares de chilenos. Talves essas pessoas não saibam o que dizem, talvez estejam em reserva mental. Enfim, não sei, mas bem é que não estão de certeza.



in DN, 04 Dez 06, copyright Bandeira.

A justiça de Carolina


Acabo de ver na SIC-N talvez uma das cenas mais ridículas que já vi na televisão. Primeiro, durante o lançamento do livro no Almada Fórum, uma demonstração do tipo de pessoas que compram o livro de Carolina Salgado. Quem são eles? Os mesmos que há uns meses atrás a chamavam de "puta" e "vaca" e "grande cabra", nada abaixo disto, agora querem-lhe dar beijinhos e dizer como ela é uma grande senhora.
Depois a leitura do livro por quem o comprou. Bem, disto é melhor nem falar.
Por fim a fuga, tal qual os serviços secretos norte-americanos e quando de uma tentativa de assassinato do Presidente, meia dúzia de seguranças do hipermercado, mais meia dúzia dos seguranças privados da senhora, irrompem perante a multidão de jornalistas que querem colocar uma questão (impossível desta vez por "não estar preparada") agredindo alguns, insultando outros. Sem dúvida, dos melhores momentos televisivos que já vi.
De que é que este livro serviu? Para já para tornar esta senhora arguida por cumplicidade. E também para lhe encher os bolsos.

sábado, dezembro 09, 2006

Legitimidade e Lei

Há uma coisa que eu ainda não percebi nesta questão da Lei das Finanças Regionais (LFR). Para quê esta reacção de Alberto João Jardim em vir para a praça pública incitar o Presidente Cavaco a dissolver a Assembleia Legislativa Regional da Madeira e a convocar eleições antecipadas, para se candidatar outra vez, e ganhar outra vez, num acto que, dizem os analistas políticos, "lhe vai dar maior legitimidade política"
Pois é com afirmações destas que eu ponho em causa o dinheirinho que esses senhores comentadores ganham. "Maior legitimidade política". Mas para quê em concreto? Ele já não a tem? E não a tem também a AR? Talvez ainda mais?
Então para quê? Será que vai ser essa "maior legitimidade" que vai fazer com que a LFR não entre em vigor? Ou vai apenas trazer mais gastos ao Estado para organizar essas eleições e fazer os eleitores perderem o seu tempo?
Pois é, a demissão de Alberto João só era boa se ele não voltasse a candidatar-se, porque de resto continua tudo na mesma.
Acham que a LFR é inconstitucional? Então mandem-na para o Tribunal Constitucional, têm mais que legitimidade para isso.
Agora não nos façam perder o nosso tempo com birrinhas pelo poder!

sexta-feira, dezembro 08, 2006

O melhor poema que já se ouviu!

E deixem jogar o Mantorras!

quarta-feira, dezembro 06, 2006

Notas Várias

Porque falta tempo para algo mais elaborado.

1- O ordenado mínimo subiu para 403€. Conclusão: continuamos a ter o salário mínimo mais baixo da Zona Euro, mas tudo em nome da competitividade. Mais o facto de os salários mais altos aumentarem também, porque muitas vezes estão indexados a este, ou seja, o fosso continua;

2- As Nações Unidas lançaram um estudo sobre a distribuição da riqueza mundial. Convém ler com atenção, porque para eles um rico não é o mesmo que seria para nós.

3- A Relatório do Grupo de Estudos sobre o Iraque foi dado a conhecer ( e pode ser lido através deste link do Público) diz que o os EUA perderam o pós-guerra no Iraque, que devem retirar as suas tropas até 2008 e que os EUA devem sancionar o governo Iraquiano se entenderem que este não está a fazer todos os esforços para assegurar a paz no país. Bush diz que vai tero relatório em consideração.
Vá lá, agora a sério.

4- O F.C.Porto passou aos oitavos de final da Liga dos Campeões (yehhhhhhhh), o Benfica não, tenho pena, o Sporting foi eliminado das competições europeias, era uma mais valia na UEFA. Espero qeu o Braga se aguente. com o Benfica podem fazer uma boa carreira na UEFA, tal como eu espero que o meu Porto faça na Champions.

5-
O que é feito daquele concurso "patético -ridiculo" que ia lançar o debate no país e que dava pelo nome de "Grandes Portugueses"? É que ouvi dizer (talvez por alguns saudosistas) que o Salazar ficou bem colocado, e estão a trabalhar uma forma de poupar a polémica. esperam-se resultados.

terça-feira, dezembro 05, 2006

De novo!

Um dos primeiros posts que pus neste blogue falava do medo, do medo com que as sociedades ocidentais estão a ficar do mundo islâmico.
Da forma como esse medo condiciona a nossa forma de vida.
Da forma como hoje em dia a segurança se sobrepõe às liberdades individuais.
Da forma como o ocidental way of life se está a submeter a certas coisas em nome da não susceptibilização de religiões, sejam quais eles forem.
Falei sobre a pena que tinha disso.
Da pena das pessoas viverem num clima de suspeita sobre tudo e todos.
Da pena de como condicionamos as nossas acções em nome dos valores de outros, que não nós mesmos.
Durante meses fiquei sem ouvir falar disso.
Até que agora ouvi dizer que num centro comercial em Chicago se cancelou um presépio vivo, que era uma das principais tradições da cidade, para não ferir a susceptibilidade dos não-cristãos.
Por este andar daqui a dias digo bom feriado do 25 de Dezembro, porque Natal ainda ofende alguém...

segunda-feira, dezembro 04, 2006

Porque gosto e não tou com paciência para postar.

Espero que gostem!

sábado, dezembro 02, 2006

A Justiça Política

Há muito tempo que ando para escrever alguma coisa sobre essa figura que o PS e o PSD querem criar e que dá pelo nome de Procurador Especial. Pelo que percebi é no âmbito da revisão das Comissões Parlamentares de Inquérito, figuras híbridas que nunca produziram nenhum resultado concreto, que tal figura será criada e terá como funções promover a acusação dos casos que resultem das investigações dessa Comissão Parlamentar.
E pior, os nossos caros deputados querem dar poderes à Comissão e ao Procurador Especial de julgar casos que até já prescreveram e tudo, dando assim uma oportunidade de julgar Camarate (seja lá quem for que eles queiram julgar). Será que vale a pena?
Mas, sinceramente, conseguem imaginar maior violação do Princípio da Separação de Poderes?
Sim, porque aos tribunais é garantida a exclusividade da aplicação da Lei, principalmente da Lei Penal. E assim sendo não se consegue conceber como é que uma Comissão de Inquérito da AR e um Procurador colocado junto dela possam julgar qualquer caso sem recorrerem ao bom estilo do Estado Novo e então voltaremos a ter os famosos julgamentos políticos.
Será isto mesmo que os partidos do Bloco Central querem? Se não é parece....