sexta-feira, novembro 10, 2006

Mário "o Iberista"

Independentemente do que possa ter dito e escrito quando Mário Lino proferiu a sua famosa frase "Sou um Iberista confesso!" , e de continuar a defender que Portugal e Espanha devem dois países independentes (e até chegar ao extremo de assumir que abandono o país se algum dia acontecer a união) , o acto destes senhores é manifestamente abusivo e desproporcionado! É levar o nacionalismo e o patriotismo ao seu limite máximo: o da estupidez.
Se fossemos por esse caminho todos os cidadãos que assumem na rua, ou disserem "sim" na sondagem do SOL seriam alvo de processos-crime por traição à pátria!

Uma última nota para os que defendem o iberismo (e alguns eu conheço): lembrem-se que se houvesse uma união, muito provavelmente voltaríamos a ser uma monarquia. Dá-vos uma outra perspectiva não dá?

2 Comentários:

Blogger Лев Давидович disse...

Bem, eu sou um bocadinho iberista, não no sentido que amiúde se confere ao termo, e sei que não implica ter que voltar a um monarquia.
Tudo parte da ideia que temos do conceito: a meu ver, ser iberista, é defender uma união entre os dois países da peninsula ibérica, de forma a criar pactos, uniões ou mesmo alianças para se construir uma sociedade cada vez mais culta e mais satisfeita.
Não teria que haver uma fusão, acho que ninguém quer isso.

20:58  
Anonymous Curunír disse...

AIii a monarquia, fantasma do passado !!!

Não é defender a velha ordem... mas quer dizer, a monarquia acompanhou os tempos. E aqui ao lado temos um bom exemplo. O rei é hoje uma figura essencialmente simbólica. Ou achas que íamos ter uma estilo Butão?

22:53  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial