segunda-feira, novembro 20, 2006

Do financiamento e da Cultura


Claro que se fosse uma iniciativa desportiva, quebrar um recorde do Guiness, um desfile patético numa avenida da capital ou arredores, uma corrida de calhambeques, uma obra de betão, um comboio, um aeroporto, uma árvore de Natal gigante, etc etc etc havia dinheiro.
Mas é só uma iniciativa cultural, nem vale a pena desperdiçarmos dinheiro e tempo com futilidades como esta.
Porque é Pobre e burro que o povo se quer! Já o outro o dizia!

2 Comentários:

Blogger Havelock disse...

Antes o circo que o pão.

23:10  
Blogger Flecha Ruiz disse...

A minha surpresa nestas situações é cada vez menor.

Há muito que venho chamando à atenção da situação dos desportistas deficientes, que são os que trazem mais medalhas para cá, mas o seu treino e a sua viagem são pagas por eles, familia e treinadores.
Na televisão passa 1 min de noticias sobre eles e nos jornais estão na página do fim.

Este é mais um exemplo! A festa que foi o acender da árvore na praça do comércio...foi a loucura! Sim, porque aquilo é que é giro, não é a cultura

12:31  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial