quarta-feira, novembro 29, 2006

Das Desculpas

O Papa Bento XVI está. Está lá, mesmo depois de tanto protesto e tanta ameaça. Está lá para promover o diálogo entre as duas igrejas católicas dissidentes (a romana e a ortodoxa) separadas à mais de mil anos.
Pelo que vi, para a maior parte dos turcos, a sua visita e a sua figura não suscita grandes atenções nem grandes interesses.
Então para quê o protesto? Na minha opinião, manifestações extremistas. São sempre elas o alvo de todas as atenções, e são sempre a elas que se dão o relevo e a voz quando se quer dar uma notícia. Isso é mau, é mau porque para o cidadão comum dá a impressão que todos são assim. Daí eu ter achado muito relevante a entrevista de Márcia rodrigues ao Imã da Mesquita Azul, que mostrou um grande sentido de que o corão não é um livro de violência, como outros querem tanto demonstrar.
Mas no fundo tudo se resume à palavra "desculpa". Deverá o Papa pedir? Sim, ele deve pedir desculpa, desculpa por ter sido mal interpretado, desculpa por não ter usado as palavras correctas e ter permitido que se fizessem as más interpretações que se fizeram. E esta é a altura perfeita para o fazer.
Mas deixem-me fazer apenas uma última resalva, numa espécie de extremismo de pensamento, porque já estou para tudo. Se o Papa pede desculpas por isto, não devem também outros líderes religiosos fazê-lo quando proferem incitações contra outras religiões que não a sua? Se alguém quiser responder...

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial