terça-feira, outubro 17, 2006

Sobre o Orçamento

Ainda não o li ,embora já me tenham dito que é uma boa ideia. Só li partes de alguns jornais e ouvi comentários na televisão. Mas do que ouvi, e li, algumas coisas ma parecem um pouco estranhas e suscitam-me algumas questões:
1- se a ideia é a da igualdade (palavras de Teixeira dos Santos), porque é que os solteiros vão pagar mais de IRS do que os casados? Sim, porque na prática é isso que se passa. Se tivessem uma base de dados melhor já não precisavam desta medida para evitar a fraude, ou já não bastava as penalizações por não ter filhos?
2-como é que se vai cortar na despesa se o famoso PRACE nunca mais avança e o "monstro" cada vez aumenta mais o que leva a que a despesa aumente em 2007 mais do que deveria?
3- será que o Governo ignorou as precisões internacionais para a diminuição do crescimento nos países que são o núcleo duro das nossa exportações?
4- eu não sei o que eles pensam, mas eu se fosse da PJ ria-me com este aumento de 3ml€, no ano passado as transferências extraordinárias foram muito superiores. A não ser que o combate ao crime (sobretudo o económico e financeiro) de repente tivesse deixado e ser uma prioridade para o Governo.
Mas acho que sobretudo ( e repito, pelo que sei), o Governo podia ter ido mais longe no corte da despesa pública, sim, porque o tempo para grandes reformas começa e escassear.

1 Comentários:

Blogger Flecha Ruiz disse...

Também ainda não li, mas respondendo aos teus pontos

1- Talvez seja mais um incentivo ao casamento e, por conseguinte, à procriação. São ambos "contractos" em vias de extinção, ou pelo menos muito fracos. Claro que não devo casar por dinheiro ou para ser beneficiado, mas há coisas na nossa vida que nada têm a ver com o trabalho mas que o motivam. Será por aí?

2- Também ignoro.

3- Não acho que tenha ignorado, tudo me leva a crer que haja um plano B. Ou pelo menos quero acreditar nisso. A nossa balança comercial tem sido positiva, cada vez mais. Acho que por uma questão de fidelização a coisa vai continuar como está...o "efeito bola de neve" funciona para o mal e para o bem. Se a tendência se mantiver vamos de vento em popa e talvez os apertos que (alguns) vamos fazendo se traduzam em benefícios reais.

4- Eu não sei se me ria se chorava. Mas discordo numa coisa: As grandes reformas TÊM de ser feitas quando têm mesmo de ser...se esse tempo que te referes é o da longevidade e proximidade de eleições, não acho que seja por aí.

14:31  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial